.

.

terça-feira, 31 de maio de 2011

Arlequim...

Tantos saltos e malabarismos
despertando sorrisos,
Chega ao fim.

Ah, Arlequim és humano
e não bobo, despertou.

E fora do castelo,
Rainhas e Reis que são bobos.
Já não é preciso chorar,
Pois há muito o que amar.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Do Ato ao Fato...

Os fragmentos diários,
nao corrompem o ato
amarrotado que brota.

Do sol à lua, luz.
Do calor ao frio, tempestade.
Ato ao Fato.

Essência viva.
Forma que nao cabe em si.
Do fato em ato, Realiza.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Mutação

Deixando para trás o que há,
Espinhos, espadas, facadas
para curar.

Parar de tentar
para respirar,
aliviar.

Bem me quer bem,
para alcançar.
O que ainda há.

E ponto final.
Paragráfo.
Iniciar...