.

.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Sonho que é verdade...

Hora de dormir
Desta vez ,
Pra não sonhar com você.

Manifesto que te encontra,
E traz a crueldade,
De te ver de mãos dadas.

Lágrimas de sangue,
Cobrem os olhos verdes.

Não há do que despertar,
Sonho é verdade,
Dura, nua e crua.

E é assim mais uma noite,
Enquanto os dias de sol,
Só pertencem a você.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

De volta pra casa...

Depois das estações,
Da liberdade pretendida,
O retorno ao aconchego.

De volta pra casa ,
Ao amor sem espera.

Curar as feridas ,
Para renascer, na intensidade
da vida.

Revelando uma perda
de muitos ganhos,
Pois o amor verdadeiro
é que te sustenta,
Para voltar para casa...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

A lágrima do palhaço

Enquanto o público ri,
o palhaço esconde uma lágrima
em seu olhar.

E todos se divertem...

Tão simples como um e um
são dois, e um não forma par.

Carrega o mundo sobre os ombros,
E faz sorrir, pois é movido por amor
À vida, às coisas, e pessoas.

E com a lágrima no olhar
Palhaço não deixa de acreditar...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O vento...

Traz pensamentos soltos,
Que juntos dão sentido,
E o que não dá , se vá.

O vento, sem proteção
 É como folha seca no ar,
Sem lugar.

Leva o que não está fixo,
E o fixo não fixa,
O vento leva ...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Quebra Cabeça ...

Tudo separado e sem sentido,
Um misturado de uma coisa só,
Que forma a figura de nós.

De longe parece ser certo,
Até que não haja encaixe,
E torne uma união de um.

E o tempo que se leva
Para a união de dois,
É o tempo que se encaixa.

A figura que surge,
Um sentido que se dá,
Pára de quebrar...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Até quando..

Se percebe que o que é , é
Que o que não é, não será
Que tá na hora de enxergar.

Que rosas não falam,
Versos não tocam,
Nem piruetas agradam.

Até quando...

Treinar,se dedicar ,
Lutar e apanhar....

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Formas...

A medida que o tamanho diminui,
A forma se molda,
Para outro tamanho.

E la vem ela , a dor
Até se encaixar na caixa
Do tamanho da sua forma.

O ajuste da peça,
Que espana o parafuso,
Que reajusta a forma e
Encaixa.

"...Somos feitos de carne, mas temos
de viver como se fôssemos de ferro..."
( Freud )

sábado, 16 de outubro de 2010

Trilhos do Trem


Caminhar sobre os trilhos,
Um passo atrás do outro,
Do lado de cá mão estendida,
Do outro ...

Trilhos exigem cuidados,
Atenção no que esta por vir,
Pois o trem , é o trem ,
Te arremessa de um lado e
Do outro...

Do outro que não está , e nem ficará,
Nem que se pule sobre o trem,
O outro não ficará,
A linha é outra.

Entre a linha da emoção e razão ,
Quem chora é o coração ,
Que procura caminhar nas entrelinhas,
E mesmo assim,
É atropelado pelo trem ...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Ela vem ...

Em seu casulo todo o zelo,
Chega o dia da libertação,
Ela vem conhecer o mundo.

Com seus olhos azuis reluzentes ,
Traz a esperança,
De trilhar um caminho,
E gerar dois destinos.

Abençoada , se transforma
Em filha, amiga , namorada,
noiva, esposa e MÃE.

Semeia os conhecimentos do mundo,
No seu jardim de flores,
E renova o sentido da vida.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

O senhor tempo...


Nada melhor que o tempo revelador,
Que diz quem é quem,
E que nos torna alguém.

Senhor tempo avesso,
Que o verso esclarece,
Que o torpor simplesmente acaba.

Que as lágrimas cessam ,
Pois o sorriso não se apaga,
Pra quem faz do tempo valer a pena.

E que sofrer é tempo disperdiçado
Uma vez que não é contado,
E muito valioso para ficar parado.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O ser cuidador ...

Um ser divino,
Ama e cuida e o só não é,
Faz sentir o aconchego desse afeto.

Conhece pelo olhar o que há,
Ao lado está para iluminar,
O caminho torto.

Ah criatura que cura,
Acalma ,e faz renascer
O sentido que está perdido.

Afugenta e dissipa a dor,
Do ser, não ter e querer,
Faz a calma se estabeler.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Transcendendo..


O vento toca nas asas ,
Levanta.
Olha em volta , sente a vida.

No peito pulsa sangue ,
Senta.
Devagar põe os pés a molhar.

Os olhos procuram, e quando se fecham,
Encontram,
O horizonte que faz respirar,
Os sentidos que fazem apaixonar.



segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Bem mais que perto ....


Mergulhados no olhar ,
Não há o que falar ,
O passado já virou história,
E nos trouxe ao presente.

E o que ficou transforma,
Passos curtos , mas a esperar ,
O dia de você chegar.

Caminhe pelas ruas de outono,
Se aproxime do teu jardim ,
E terás um só mundo em dois corações.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

O reverso ...

O reverso empobrece o verso,
Afugenta a dor ,
Enaltece o amor.

Sóbrio vilão aos olhos do ladrão,
Que não sabe doar, além de roubar,
Aproveitar , amar.

Verso que não completa ,
Fica a esperar o reverso chegar ,
Ignorar.

A súbita simpatia triste
Vem acariciar a riqueza
Do olhar e brilhar.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O destino do verso...

Caneta e papel na mão,
E alguns versos que refletem do coração,
Sem medo de apresenta-lhe a devoção.

Um verso lançado ao mar
Que passa por tempestades e ressacas,
Mas resiste.

Escrito com tinta de lembrança,
Com papel de esperança,
Navegando.

As ondas levam o verso,
Várias mãos e nenhuma solução,
Pois é preciso tocar o coração,
Pra nada ser em vão.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Tanto quanto à morte ...

Ferida que se abre com a recusa,
Depois de tanta luta,
Noites em claro, puta.

O primeiro passo quebrado,
De um logo caminho, basta.

Corta para ser fatal,
Não de um jeito banal,
Com um rosto angelical.

Dor sem significado,
Insuportável,
Tanto quanto a morte...

Versos que não calam...


Pássaro que não voa,
Dia que não anoitece,
Lua que amanhece.

Menina que adormece,
Abre os olhos e se esquece,
Que o dia clareou sem sol,
amanhece.

Pensamentos que não param,
Palavras que faltam,
Versos que não calam.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Ao seu lado...


Ao te ver chegar,
Faz despertar o sorriso no olhar,
E acreditar no ato de doar.

É ter proteção de que nada é em vão,
E que a caminhada é longa e pedras virão,
Mas que ao seu lado é solução.

Solução pra dor , pois há amor
Para a loucura, pois há a cura,
Para a agitação , pois há compreensão.

Assim ..........

" É o tempo da travessia e, se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos"
(Fernando Pessoa)

domingo, 5 de setembro de 2010

Das Cinzas à Rosas

Um suspiro profundo
Traz uma imagem em um segundo,
Olhos fechados enxergam cores,
E tomados pelo cansaço, adormecem.

Nasce, e as cinzas pairam no ar
Entorpecem o respirar,
Surgem rosas para acreditar,
Que tudo vai melhorar.

Rosas que vem alimentar,
Que das cinzas pode nascer,
Um bom motivo para viver.

domingo, 29 de agosto de 2010

Portas Fechadas...



Sem permissão para ilusão,
Decepção e leilão,
Portas Fechadas.

A chave se perdeu,
Esqueceu, escureceu.

Toc , Toc !!!
Não se pode entrar sem chave,
As fechaduras já não são mais as mesmas.



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Uns dias...


Dias de 24, noites de 48,
Rosas e espinhos,
Vinho.

Manhã de sol, frio
Tarde de chuva, quente
mistura conveniente.

Tanto quanto é,
Tanto quanto faz,
há um mês atrás.

Dia a dia, numa sintonia
transforma a dor em alegria,
Abstrai o gesto de agonia,
que liberta e extrai
da lágrima, o brilho dos olhos.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Barco dos sonhos


Um dia quente e o coração doente,
E de repente contente,
Surge uma luz reluzente,
É o Barco dos sonhos.

Navegante se encanta,
Chega perto, se apaixona.
Desbrava 70 mares.

E chega ao porto,
É hora da partida,
Navegante chora.

Ah navegante, se o porto é seguro
O barco dos sonhos retorna,
Senão marujo, se prepara pro próximo embarque.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

O tabuleiro.


As peças estão na mesa,
repare não é um jogo de sorte,
cada movimento te põe em risco.

Não manipule o jogador,
Não brinque com a inteligência oculta,
Nem sempre a malandragem vence.

Diante do tabuleiro proteja seu rei,
e mova sua rainha com cautela,
pois uma jogada procede a outra.

Se você disperdiçar sua vez,
Cheque mate.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Amores indefinidos...


De perto é certo,
é maior e abstrato,
colorido.

O sorriso, o beijo
o queijo.

Formas sem moldes,
sons sem ruídos,
amores indefinidos.

Alegria de estar,
presenciar e ficar,
ao lado de quem sabe amar.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Raio de Luz


Abre os braços,
raios de luz penetram a pele,
impulso para o pulsar.

Raio de luz,
que acalma e afugenta o mau,
dissipa a dor, traz amor.

Luz do olhar, do mar e luar
Simples a esperar
O milagre chegar.

Ilumina o ser, faz crescer
Não há como perder,
Raio de luz enfim,
meu encontro em mim...

“Há pessoas que transformam o sol numa simples mancha amarela, mas há aquelas que fazem de uma simples mancha amarela o próprio sol ” (Pablo Picasso)

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Andando em círculos



Noite fria, silêncio absoluto,
O coração que fala e discursa
A mente se nega, torna-se incontrolável.

Um único pensamento em um milhão de idéias,
Um único suspiro, o alivio.
E o momento vai embora é só fechar os olhos.

É sobrenatural, a presença sem presente,
O sorriso sem a boca, o olhar sem os olhos,
O cheiro sem a pele, o carinho sem o amor.

É como andar em círculos,
E não chegar a nenhum lugar.

Tu..

Amanheceu, e um novo sentido surgiu.
Mãos estendidas e precisas,
Que gentilmente simbolizam a acolhida.
Como um ser divino,
que chega para apresentar o que há de melhor aqui dentro.
um olhar de perto, junto e basta,
Para  que a calmaria  traga
Confiança e abra os caminhos da vida.
Pois tu transmite o amor divino , e  paz  que os corações desejam.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Para todo ...


Para todo o fim, um ponto
Para todo ponto , um encontro,
Para todo encontro , Esperança,

Que seca a lágrima
E dissipa a dor,
Ponto.

Para toda virgula uma separação
do que foi e o que será,
só basta acreditar.

Para todo o tempo , a cura.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Anjo Caído...


Asas cortadas ,
Anjo Caído.

Sozinho, Sofrido,
Anjo Caído.

O Brilho do Céu,
Levanta o que restou,
Anjo Caído.

E o que resta dizer Anjo caído :
"...Ficarei de longe escondido
Mas, sempre perto, decerto
Como se eu fosse um humano vivo,
Sem você me ver..." (Saulo Fernandes)

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ser como o ser...


Ser como o ser que cultiva,
se alimenta do que há,
e sobrevive.

Oferece de si para o inteiro,
transforma o vazio em cor,
sem ao menos enxergar.

Ser como o ser que cuida
das cores para não desbotar,
e continuar a alegrar.

Ser o ser que tem fé no invisivel,
acredita no inacreditável e
recebe o impossível.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Um mundo dois...


Eu não sou daqui,
Mas estou aqui,
Me escondo de mim.

O Mim que está lá,
e o Eu nao chegará,
irritar, gritar.

O passo, compasso
O verso , avesso,
Um mundo , dois.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Eixo...


Nunca o bastante ou suficiente é necessário,
mas há falta.

Uma virgula, um acento
Um motivo.

E tudo se transforma,
Fica fora do eixo.

E o bastante é o nada,
E o nunca é o suficiente.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Apagar...


Sentimentos não são escritos á lápis,
Não são construídos sobre a areia
É marca pra vida toda.
É pular sem saber a altura,
E ter certeza que lá embaixo tem alguém.
Nem sempre é uma troca,
Mas é o que nos faz crescer,
É dar e ter chance de transformar a marca, em aprendizado
É enxergar a verdade nas lagrimas do outro,
E se é amor, abrir os braços, e receber
Pois se não for, não devolva a marca da mesma forma que lhe foi cravada,
Tudo o que foi construído pode se perder...se apagar...

domingo, 23 de maio de 2010

A mil ...


Folha em branco,
Versos que não são simples,
Pois o simples é complexo.

Pensamento a mil,
Mil motivos a preencher,
Vazio.

O valor, o amor , o pudor
Palavras simples e indefiníveis,
que se encaixam no vazio.

Vazio do eu, do nós e de Vós
Versos únicos com seus motivos,
definidos pelos complexos.

sábado, 15 de maio de 2010

Quinze...


Acorda e ganha um beijo,
é mais um dia,
é dia que os olhos se abriram pro mundo,
mundo que hoje é outro.

Dia que a lua brilha,
Noite que o sol clareia,
Alegria.

Sorriso com uma lágrima,
Tristeza com esperança,
Desafio do comum.

A crença no que é verdade,
e o que é verdade não é verdadeiro,
e quem se importa, o dia é hoje.



"...Metade de mim ,agora é assim
De um lado a poesia, o verbo, a saudade
Do outro a luta, a força e a coragem pra chegar no fim
E o fim é belo incerto... depende de como você vê..."
(O Teatro mágico)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Entrelace...


A ligação do porto e o barco,
é amor, é amor ...
O porto recebe o barco,
O barco despeja sua carga no porto.

O porto precisa do barco para sobreviver,
O barco precisa do porto para não morrer.

Ah mas há do barco de tornar porto,
e o porto se tornar barco,
e com isso acontece, entrelace.

No Entrelace da alma,
Da palma,Da calma,
De vários portos e barcos,
Que por esses mares navegam.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Além da janela...


O olhar além da janela,
A luz que faz sentir a vida,
Não, não é ninguém é apenas o mundo.

É perceber que existe mais,
E que o mais está ao lado,
Mais do que quem está junto.

É saber abrir e fechar a janela,
Permitir a brisa entrar, e não se jogar,
Sentir que algo além está aqui,
É encontrar a cura, para cá dentro.

É enxergar que o que importa não importa,
E o que não importa, importará.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Presença.


Um chamado de dentro,
No meio de tanta gente,
Os olhos se fecham,
Se enchem de lágrima.

Não há explicação,
É um chamado de dentro,
Só eu e Você.

Sua presença está em mim,
E tudo que posso oferecer,
É pequeno diante do que me dá.

E no meio do nada, surge o tudo,
No meio da lágrima, o sorriso,
No meio do sorriso, uma Palavra,
Obrigada ... meu Deus.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Uma Palavra ..


Linhas contínuas,
Espaço preenchido,
Uma palavra.

Que move a continuidade,
Afasta a paz,
Pois a luta é por ela.

De diversas formas,
Que pulsiona o acordar,
E que acalma o dormir.

"... O que não provoca minha morte,
faz com que eu fique mais forte..."
(Nietzsche)

quarta-feira, 14 de abril de 2010

É assim ...


O Outono que chega,
As folhas caem, voam
Levam um pouco de mim.

O sentido se surpreende,
O nome que faz gelar,
Os passos do sorriso,
O abraço do coração.

O Céu se abre,
As cores começam aparecer,
O vento traz o pólen da flor,
Renascer..

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Metade do Inteiro........


O inteiro que é a metade,
Que não completa e nem esvazia,
Que aumenta a metade , mas não é inteiro.

A metade que se sustenta,
O inteiro que alivia,
A soma que não calcula.

O inteiro que se distancia,
A metade que tenta alcançar,
Vazio...

" ...Sonho parece verdade,
Quando a gente esquece de acordar,
E o dia parece metade,
Quando a gente acorda e esquece de levantar..."
(O Teatro Mágico)

terça-feira, 30 de março de 2010

Só mais um...


O vento toca no rosto,
Os olhos se fecham,
O sorriso se abre.

As palavras soltas,
Os sentidos aflorados,
A pele á espera.


" ...A única verdade é que vivo,
sinceramente eu vivo,quem eu sou ?
bem, isso já é demais ..."
(Clarice Lispector)

terça-feira, 23 de março de 2010

Um instante......


Um segundo, Um minuto,
Uma hora, 24.
A ordem crescente que regride,
que desenvolve e reprime.

Um segundo que salva uma vida ,
Um minuto que se perde outra,
Uma hora que se ama,
24 que se chora.

Um segundo que acorda ,
Um minuto que despreza,
24 que se perde.

24,que envolve as medidas,
Um segundo, um sorriso,
Um minuto, um alívio.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Devaneio...


Pensamentos soltos,
Cai uma lágrima,
Caem duas,
Ao redor muitas coisas acontecem,
Um sorriso, um abraço,
Um desejo de enxergar a Luz,
Luz essa que se apagou,
Com um pingo de água,
Cai uma Lágrima,
Caem duas.

A cegueira momentânea,
do qual o momento foi longo,
E suficiente para se lançar,
Em um buraco negro que parece
não ter fim.
Cai uma Lágrima,
Caem duas.

No fundo, o escuro reflete
a intensidade e a verdade
e impulsiona para a superficie
para que o ciclo se reinicie,
cai uma lágrima.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Infinito...



Infinito que possui infinitas definições ,
Da qual, não se mede , cálcula , ou alcança.
E apenas mais uma será dita.
Infinito que cada um traz dentro de si , de formas diferentes, porque há vários infinitos dentro de mim.
Infinito que cálcula o tempo , do qual revela a hora certa para
cada passo, porém seu resultado não importa, pois o momento certo é esse.
Infininto que mede o sentimento, que atrapalha as idéias , pois não há como medir um sentimento, quando ele nem sequer foi revelado.
Infinito que se inicia com um admirar de uma cena, e se prolonga por um filme.
Infinito que se tem cheiro , quando não há explicação,
Infinito que se acalma, atrapalha, chora.
Mas que não deixa de ser infinito, pois
infinito é viver intensamente,
até o finito.

" ...Eis o melhor e o pior de mim , no meu infinito particular
em alguns instantes,sou pequenina e também gigante..." (Marisa Monte)

terça-feira, 9 de março de 2010

Voar...



Um pássaro criado dentro do seu ninho, desde o nascimento ,fica maravilhado quando através de uma fresta consegue enxergar o mundo que está lá fora.
A partir deste momento decide que quer buscar o desconhecido, mesmo que para isso precise ultrapassar algumas barreiras.
O que o pequeno pássaro não sabia ,é que a argola e a corrente em suas patas não era um simples presente que tinha ganhado e que a proteção que lhes daria algum dia também lhe incomodaria.
Os dias passavam, e cada vez que o pássaro chegava até a porta de seu ninho era advertido a voltar e ficar quieto em seu canto.
Revoltado com a situaçao, toma a iniciativa de aprender a voar sozinho, chega novamente até a porta de seu ninho, olha para baixo e se depara com um abismo, coloca uma pata para fora , logo uma asa, sente a brisa fresca que o contagia, assim ele dá seu primeiro salto.
Salto esse que se não fosse a corrente em suas patas , não teria sobrevivido,encontrou seu apoio, poderia tentar mais vezes e a corrente não permitiria que ele caisse no abismo.
Logo, ele queria arriscar mais e assim a corrente em suas patas começou a incomodar , trataram de aumentar a corrente para que o pequeno pássaro tivesse mais espaço.
O que por muito tempo foi o suficiente para que ele obtivesse vários tipos de conhecimento, mesmo não saindo da mesma árvore que estava seu ninho.
Mas o pequeno pássaro não tinha realizado ainda a sua busca , estar somente na sua árvore é muito pouco.
E mais uma vez sua corrente é aumentada, na medida que ele voa e conheçe novas árvores, pássaros, e tudo que o mundo podia lhe oferecer.
Sua busca foi suprida momentâneamente , pois o pássaro sai para seu voo, mas tem um limite, em que a corrente estica e o faz voltar ao seu ninho, do qual fica preso.
O voar não é simples , pois não existe voo sozinho , sempre há uma corrente, um ninho, um mundo , vários pássaros.

quinta-feira, 4 de março de 2010


AUSÊNCIA

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.
(Carlos Drummond de Andrade)