.

.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Terça - Feira


Um dia e sua rotina.
Interrompida.

Ás 6:00.
Acaba o sonho
e o dia segue.

Tudo novo de novo.
Palavras cruzadas.
Um livro.
Um vídeo.
Uma poesia.

E rotina.
O desenho, a personagem.
O rosto parecido.
Que leva do dia,
a saudade de todos os dias.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Insônia


Falta de sono ou excesso de saudade?
Falta.

Falta sorte, olhares e detalhes.
Excede qualquer querer,
quando não se deseja.

E todas as coisas que ficam,
Insônia.
E o que se vai, é passado.

Simples como ir e vir,
como se não deixasse rastros.
Insônia, excesso de falta.

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Seio tirânico


Se doa e cobra.
Vira, ofende e abandona.

Fome!

O alimento Amor é tirado,
e o que resta é o resto.

Busca !

Vazio que aumenta,
a cada gole.

Vida !

Existe.
Quando se aprende que o vazio,
é preenchido por si mesmo.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Avante


40 minutos.
Peito aberto.

Passos curtos, pra não cansar.
Caminhar.

Levantar e caminhar.
Não esperar ninguém chegar.
Sem mãos para apoiar,
caminhar.

E de repente olhar,
toda a imensidão que há
em ser e estar.

Estar sozinho,
é acompanhar
os próprios passos.
Colocar tudo no lugar.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Coração vivo


E tanta pancada,
De repente vida.
O coração volta a bater.
Acelerado.
É preciso respirar fundo.

E de repente você !
Me traz a crença
que existe aqui dentro,
um coração vivo.

Sorrio.
Você existe.

E só por existir,
Já tem outro sentido.
Sem mais,
Apenas junto.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

S do C



E o que está no coração
Transborda em pensamentos,
e falta.

Segura, amarra e prende.
Grito tolo, sem voz e
ouvidos pra entender
o sentido S.

O silêncio da noite,
e lá está você.

Último e primeiro
sempre aparecer.
Leite quente pra esquecer,
Café preto para crer.

Segura, amarra e prende.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O Humano Trágico


Dor.
Bastaria a palavra.

Mas tantas palavras pra compreender,
o que não se define.

Respeito.
O que ? Dinheiro ?
Não. Respeito.
O que ?
Respeito.

Dor transforma-se em
Dinheiro.
Respeito ?
O que ?
Dinheiro.

Tragédia e dor,
sem dinheiro.
Respeito.

Humano Trágico.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Ostra que ostenta um.


Entre marés
e desvios,
casca dura.

Transforma a dor
em riqueza.

E quando se abre,
Cuidado.

Frágil, delicado e
belo.

Tempo para cristalizar,
Tempo de perolar.
Tempo que não quer passar.