.

.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Ralado...


Despedaça, arde e sangra.
E cicatriza todo dia.

Com palavras doces,
e gestos singelos
que acalmam.

Sem porquês e por onde.
Apenas afagam, nem tudo
se explica.

Sorriso que impede a lágrima,
É cuidado.
E transforma tudo em carinho.

E se para todo mau existe a cura.
Doses diárias de você,
Transformam-se no meu mau necessário.