.

.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

No portão


Sentada.
Ela passa, olha o telefone e sorri.
Enquanto ele está parado
olhando pra ela.

De um jeito sem jeito se
cumprimentam.
Ele arrumadinho,
ela nervosa.

O amor acontecendo ali,
Ele estende a mão,
ela fica vermelha.

Sentada no portão.
o amor ali perto.
Tão perto para acreditar
que um dia me tocará.

Mas ele passa.
Se espalha nos corações
e não para.

Só tira sorrisos,
mas não estende a mão,
Não chega.

Sentada no portão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário